Ir para página principal

Rede Articulação da Solidariedade

 
É com a certeza de que “o caminho se faz caminhando” que queremos prosseguir com a jornada, de darmos continuidade à construção do Reino de Deus. Jornada esta, bem descrita nas páginas da Bíblia e na história da Igreja. 
 
Temos em mãos um projeto: “Rede Articulação da Solidariedade”. Ele tem como “eixo principal” os NAASP’s – Núcleos de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial.
 
Este projeto teve a sua inspiração a partir de duas frases de Dom Walmor: “onde estão os nossos pobres e como estamos indo ao encontro deles?” e, “precisamos ser mais efetivos no exercício da caridade!”. Também ajudou na
sua idealização a criação, por Dom Walmor, da Acolhida Solidária Dom Luciano Mendes de Almeida e a ênfase dada por ele ao SIASP (Sistema Integrado de Ações Sociais Paroquiais), no que diz respeito à utilização de recursos tecnológicos para melhor articular as ações solidárias.
 
A II Assembleia do Povo de Deus, que também é balizadora deste projeto, já apontava essa necessidade. É importante relembrar trechos de suas decisões: 
 
• “Para dinamizar sua ação social e política a Arquidiocese deverá intensificar o serviço aos pobres (...)”.
 
• Este compromisso exige: articular melhor as práticas sociais existentes, criar a Ação Social com pastorais sociais e grupos de Fé e Política (...).
 
• Deverá criar-se uma Comissão Arquidiocesana para implementar com eficiência as ações assumidas acima”.
 
Logo depois de iniciar seu ministério na Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Walmor decidiu, com grande acerto, a partir das decisões daquela APD, ao invés de criar uma “Comissão”, criar o Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política (VEASP).
 
A essência dele é a Doutrina Social da Igreja (DSI). E entre as palavraschave que o norteiam destaca-se a solidariedade. Esta, por sua vez, permeia as Sagradas Escrituras, o ensino dos Santos Padres e o Magistério da Igreja (a própria DSI). Dentro de tudo isso, vale destacar Lv 25; Dt 15; 24,17-22; o eloquente programa de Jesus Cristo, proclamado na Sinagoga de Nazaré (Lc 4, 16-18); At 2, 42-45 e a bastante inquietadora Carta de Tiago (Tg 2, 14-17. 5, 1-6). Enfim, a questão social nos provoca a uma maior fidelidade a Jesus Cristo. 
 
O Projeto, embora simples, é abrangente. E, mesmo não configurando destaque, é preciso chamar a atenção para o tema meio ambiente e para a luta em sua defesa, incluindo a importante questão da água. De grande importância, também, é a formação em termos da DSI, por meio dos cursos “Igreja e Sociedade”. Estes tiveram seu início na RENSC quando eu era Vigário Episcopal da mesma e, depois foram (e estão) alcançando toda a Arquidiocese.  Outro ponto presente, e indispensável nele, é a Pastoral de Conjunto, que tem
de ser efetivada com dedicação constante.
 
É do espírito deste Projeto que paróquias com maiores recursos financeiros e humanos ajudem aquelas com menos recursos. Assim, aquilo que pregamos em termos de caridade acontecerá: a solidariedade será articulada e expandida. E cada NAASP será um elo na construção da Rede de Solidariedade.
 
Este trabalho é resultado da participação e colaboração de várias mentes e mãos: Vigário Episcopal, teólogo, padres, agentes de pastorais, religiosos e funcionários do VEASP. Ele não é algo pronto e acabado, mas flexível, adaptável a cada realidade e em permanente construção. Enfim, é um instrumento de ajuda às pessoas de boa vontade e que tenham perfil para atuação na área social, para que melhor possam trabalhar como discípulos missionários de Jesus Cristo, na construção do Reino de Deus, promovendo, assim, a dignidade da pessoa humana, de modo “que todos tenham vida e vida plena” (Jo 10,10).
 
Que este Projeto seja um guia seguro e incentivador para um “melhor e efetivo exercício da caridade” de quantos dele fizerem uso! Que ele contribua para que a Igreja seja mais misericordiosa, samaritana, defensora e promotora
da justiça e da paz!
 
Padre Júlio César Gonçalves Amara l
Vigário Episcopal para Ação Social e Política
 
Padre Francisco Esteves Pimenta
Idealizador, organizador e colaborador do Projeto REARTISOL