Ir para página principal

Pastoral de Rua e Vicariato Social intensificam ações de amparo durante a pandemia

A partir do dia 13 de junho, a Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte e o Vicariato para Ação Social, Política e Ambiental (Veaspam), junto com a Pastoral Nacional do Povo de Rua, a Prefeitura de BH e apoio de algumas instituições privadas, intensificam suas ações de amparo aos moradores de rua. A Serraria Souza Pinto vai funcionar como local de referência para acolher a população em situação de rua, fatia da população muito vulnerável à contaminação pelo novo coronavírus.
 
O interior do prédio foi readequado para receber pessoas que, além da ameaça da COVID-19, enfrentam baixas temperaturas nas ruas – neste inverno rigoroso. Para melhor atendimento ao público, o espaço interno da Serraria será dividido em praças: de saúde, com profissionais para avaliar se há sintoma do novo coronavírus; de lanche; e da dignidade, envolvendo higienização (sanitários e banho). A capacidade diária de atendimento é para até 600 pessoas.
A questão social também será atendida para informações sobre documentos, denúncia a respeito de violência e explicações com relação aos direitos humanos. O objetivo é dar atenção integrada a até 600 pessoas por dia, dentro da concepção de garantia de direitos e promovendo ações de cuidados, proteção e informação.
Conforme os organizadores, toda a estruturação teve a interlocução com o Comitê da COVID-19, atendendo às orientações de distanciamento social, uso e distribuição de máscaras, higienização de mãos e do próprio espaço, tendo ainda planejamento para evitar aglomeração.
 
Destaque na mídia
 
A ação da Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte e o Vicariato para Ação Social, Política e Ambiental (Veaspam) foram destaques na imprensa. Confira as reportagens:
 
Estado de Minas (Clique aqui)
 
O Tempo (Clique aqui)